Copa Libertadores, 58 anos de História

atletico_mineiro_libertadores
Atlético Mineiro, campeão em 2013. Último time brasileiro a levantar a taça

A Copa Libertadores 2017 vai começar. Inchada pela inclusão de mais equipes – agora são 45 além do campeão da última edição e o campeão da Copa Sul-Americana, – vai ser disputada de janeiro a novembro.

Mais longo que esse calendário foi o caminho pra se chegar até aqui. Antes da Libertadores tivemos dois torneios continentais de clubes, o Campeonato Sul-Americano, em 1948, vencido pelo Vasco da Gama e a Copa do Atlântico, vencida pelo Corinthians, em 1956. Nenhuma delas organizada pela Confederação Sul-Americana (Conmebol).

Em 1960, a Conmebol organizou e realizou a sua primeira competição oficial interclubes. Com o nome de Copa dos Campeões da América, foi disputada apenas entre campeões nacionais de países sul-americanos.

O campeão foi o Peñarol, do Uruguai. O representante do Brasil foi o Bahia, vencedor da Taça Brasil de 1959. Além deles, San Lorenzo (ARG), Jorge Wilstermann (BOL), Universidad de Chile (CHI), Millonarios (COL) e Olimpia (PAR).

penarol_olimpia_final_1960
Afinal de 60: Peñarol X Olimpia. Com uma vitória em casa e um empate fora, os Carboneros se sagraram os primeiros campeões dd continente

A partir de 1964, os vice-campeões nacionais foram incluídos e o torneio passou a ter 20 times, já com o nome trocado para Copa Libertadores da América.

O Santos, de Pelé & Cia, foi bicampeão (62-63) e provavelmente não venceu outras porque preferiu faturar muito mais com suas excursões mundiais – quando eram idolatrados por onde jogassem – do que oferecer suas canelas para as travas dos vizinhos, em gramados na sua maioria muito ruins e ganhando muito pouco em troca. Maior vencedor brasileiro daquela década, abriu mão da disputa por anos.

1963, Boca Jrs 1 X Santos 2, em Buenos Aires. A partir de 65, clube praiano abriu mão da disputa para excursionar. Só voltaria a jogar o torneio em 1984

Na verdade, para os brasileiros – clubes e torcidas – a Libertadores só emplacou na década de 90, com as vitórias do São Paulo, num período que coincide com a “descoberta” da competição pela TV, que passou a transmití-lo com regularidade e destaque devido.

De lá pra cá virou objeto de desejo de todos os grandes times nacionais, ganhando uma importância a meu ver descabida. Uma vaga na Libertadores chega a valer mais do que ser campeão nacional. A desclassificação precoce no torneio, ou mesmo a não classificação para a disputa, costuma custar a cabeça de treinadores e uma crise no clube e na torcida.

E pensar que há pouco mais de 20 anos um título estadual era tão ou mais importante. A bola rola e o futebol vai se transformando.

 

Autor: Francisco Milhorança

Designer gráfico, artista visual e apaixonado por futebol (não necessariamente nessa ordem).

2 comentários em “Copa Libertadores, 58 anos de História”

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s