“Nosso capitão é o Papa Francisco”

Batinas penduradas e bola rolando. É o futebol sendo protagonista no Vaticano

O Papa Francisco com sua paixão pelo San Lorenzo colocou o Vaticano no mapa do futebol. Mas o assunto é muito mais que isso nas cercanias da Capela Sistina.

Entre 1973 e 1980 disputou-se a Copa Amicizia, jogada por times formados pelas diferentes figuras que habitam o Vaticano — membros da Guarda Suíça, jornalistas e eclesiásticos. Depois criaram o Campeonato della Citta Vaticano (1981/2006).

Desde 2007 acontece a Clericus Cup, uma espécie de Copa do Mundo eclesiástica, disputada por padres e seminaristas oriundos de diferentes países e que residem e estudam em algum dos colégios de Roma, na Itália.

Com o lema “Nosso Capitão é o Papa Francisco”, as equipes são formadas para representar seus colégios, por jogadores de mesma nacionalidade. Pode acontecer que não haja compatriotas em número suficiente. Nesse caso, outros se juntam ao time, numa espécie de “legião estrangeira” formada por jogadores de diferentes países.

São partidas de dois tempos de 30 minutos cada. Além dos cartões amarelo e vermelho, existe também o azul, que exclue do jogo por 5 minutos. Em caso de empate, disputa de pênaltis.

O fair play é critério para desempate em caso de igualdade de pontuação. E o Pai Nosso é rezado antes e depois da partida, pelos dois times juntos.

Os brasileiros nunca faturaram o caneco. Representado pelo Colégio Pio Brasileiro, conta com um ex-goleiro nas suas linhas. Adolescente, Carlos Gomes jogou nas categorias de base do Goiás e do Goiânia. Antes, chegou a vestir as cores do Cagliari da Itália. A inclinação pelos estudos e pelo sacerdócio falou mais alto.

Outra curiosidade desta edição é o time Chape Cusmano Belga, da Bélgica, que jogará com o uniforme da Chapecoense, numa homenagem ao time catarinense.

Atleta do Chape Cusmano Belga: homenagem abençoada à Chapecoense

João Saldanha, grande jornalista e técnico de futebol, cunhou uma frase célebre. “Se macumba ganhasse jogo, campeonato baiano terminaria sempre empatado”. No caso da Clericus Cup, se o Papa é o capitão de todos, quem será abençoado com a vitória?

Autor: Francisco Milhorança

Designer gráfico, artista visual e apaixonado por futebol (não necessariamente nessa ordem).

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s