Fascismo é bi e Leônidas se apresenta ao mundo

Em 1938 foi realizada na França a terceira Copa do Mundo, a segunda seguida em solo europeu. A Argentina se candidatara a organizar o torneio. A Alemanha — que sede das Olimpíadas de 36 — e a França também pleiteavam a organização.

Os argentinos contavam que o rodízio de continentes fosse mantido e se preparava pra festa. Porém, reunião do Comitê da FIFA na Alemanha, durante os Jogos Olímpicos, decidiu que a França seria a sede, em homenagem ao seu idealizador, Jules Rimet.

Contrariados, os países das Américas fecharam com a Argentina e decidiram boicotar o evento. Brasil e Cuba furaram o protesto. Junto com as Ilhas Holandesas (atual Indonésia), foram os únicos países não-europeus a disputar o torneio.

Foram 14 seleções mais a Itália, última campeã, e a França, país sede. A partir daí, a classificação automática do campeão só deixaria de valer em 2002. A Áustria se classificara com um time muito forte. Mas com sua fusão/anexação com a Alemanha, ela deixou de existir e seus melhores jogadores passaram a integrar a Seleção nazista, que se tornou favoritíssima para o título.

Mesmo com os craques austríacos, a Alemanha decepcionou. Eliminada na primeira fase pela Suiça

Como nenhuma outra seleção foi colocada no lugar, — a Inglaterra,convidada, recusou — a Suécia, que seria sua adversária na primeira fase passou direto pra fase seguinte. O regulamento previa jogos eliminatórios. Em caso de empate, prorrogação. Novo empate, um segundo jogo.

Foi a única participação de Cuba em uma Copa do Mundo. A primeira de Polônia e Noruega. Os poloneses, juntamente com a Holanda, voltariam a uma disputa somente em 1974. A Noruega, apenas em 1994, assim como a Alemanha, que venceria em 1974 e 1990 ainda como Alemanha Ocidental.

Leônidas contra a Polônia. Gol sem chuteira e artilharia do torneio

A Copa de 38 foi a primeira em que o Brasil se destacou, apresentando ao mundo Leônidas da Silva e Domingos da Guia. O Diamante Negro foi o artilheiro do torneio, marcando até sem chuteira no jogo contra a Polônia. Nessa partida ele marcou três, tornando-se o primeiro a  fazer um hat-trick em Copa do Mundo.

Domingos da Guia protagonizou um lance polêmico na derrota para a Itália, 2×1, na semifinal. O atacante Piola lhe deu um pontapé com a bola fora do jogo. O zagueiro revidou e o juiz suíço Wuthrich marcou a penalidade. Nesse jogo Leônidas ficou de fora, contundido. Na disputa pelo terceiro ligar contra a Suécia, vitória por 4×2.

Domingos da Guia tentando frear o italiano Piola. No fim, eliminação e volta pra casa com o terceiro lugar

Na final, a Itália defendeu seu título contra a Hungria e faturou o bicampeonato com um inapelável 4×2. Primeira em muitos detalhes, a Copa de França seria a última realizada antes da explosão da Segunda Guerra Mundial. O torneio só voltaria a ser disputado em 1950, no Brasil.

 

Autor: Francisco Milhorança

Designer gráfico, artista visual e apaixonado por futebol (não necessariamente nessa ordem).

4 comentários em “Fascismo é bi e Leônidas se apresenta ao mundo”

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s