Não há nada melhor do que vencer o Brasileirão

Pensando no Brasileirão desse ano, imagino como estaria empolgante a disputa pelo título se pelo menos o Grêmio se mantivesse empenhado em ganhar. O calendário do futebol coloca os clubes em uma situação difícil, tendo de decidir entre um e outro torneio.

A história de elenco grande para mais de uma disputa se mostrou por si só um fracasso. Palmeiras e Flamengo investiram muita grana em muitos jogadores – principalmente os paulistas – e o resultado foi decepcionante. Elenco forte não significa time forte e competitivo. Os rubro-negros ainda podem faturar a Copa do Brasil. Os palmeirenses sonham com o Brasileiro, mas o mais provável será uma vaga pra Libertadores do ano que vem.

Palmeiras priorizou a Libertadores. Eliminado precocemente, voltou ao Brasileirão sem chances de faturar o bi-campeonato

Tem o Grêmio, que montou um grande time sem gastar o que não tinha, mas apostou nos torneios mata-mata. Com isso, permitiu ao Corinthians um distanciamento que poderá significar a perda do título (tem mais time que os paulistas). Acho normal e esperado um clube priorizar torneios num calendário recheado de disputas sem ter datas suficientes pra jogar e treinar. O que me incomoda é colocar o Brasileirão como segunda ou terceira opção. Para mim, não há conquista mais difícil e por isso mais importante. É o campeonato mais equilibrado e o mais justo, pois premia aquele que se mantém mais regular.

Por isso lamento ver um Grêmio colocando os reservas dos reservas em campo no Brasileirão, apostando todas as suas fichas em mata-matas imprevisíveis (um dia infeliz do goleiro ou de um atacante, adeus). A medicina esportiva e a fisiologia chegaram a um nível de excelência que permite um planejamento visando a preservação da parte física dos atletas. Poupar praticamente os onze é um baita erro. Ninguém tem onze reservas no mesmo nível dos titulares. O que se tem reservas à altura em algumas posições, para algumas ocasiões.

Além disso, tem a questão da esportividade. Quando um clube escala os reservas em um jogo e não em outro, acaba favorecendo um adversário enquanto o outro não tem essa regalia.

Botafogo. Elenco enxuto não impede colocar os melhores em campo sempre que possível

Do outro lado, times com elencos limitados como Corinthians e Botafogo vão levando as disputas, mesclando a equipe quando dá, mas sem abrir mão de nenhum torneio. Ganhar Libertadores é muito legal, sensacional. Se faturar o Mundial, então, maravilha (apesar de só os sul americanos lhe darem importância). Mas pra mim, o Brasileirão está acima disso, é ele e depois os outros.

É muito difícil, raro, um time ganhar tudo numa temporada. Mas acreditar e tentar não custa nada. E deixa os torneios muito mais emocionantes e justos.

 

Autor: Francisco Milhorança

Designer gráfico, artista visual e apaixonado por futebol (não necessariamente nessa ordem).

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s