Futebol · Literatura

Ao rés do chão


“Uma bola enfrenta o limite “real” do chão

Balizas nascem do gol como telas contíguas a

qualquer escala do corpo humano,

rodeadas por eróticas redes

Pernas eloquentes tocam o lado escuro

dos mármores lunares

Esta é a caça recíproca dos deuses que mordem;

deuses publicitários de si próprios

Este é o arriscado balé dos lumes babilônicos,

das luas improváveis de mármore

O Olímpio trágico de um Maracanã é o nosso laboratório ancestral

Somos todos filhos do dilúvio

Rola a esfera na terra sintética do espetáculo;

órbita em permanente assunção

ao rés do chão”

Augusto Guimaraens Cavalcanti
(da coluna Cultura, no CGN)

Foto: Francisco Milhorança®
Anúncios

Um comentário em “Ao rés do chão

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.