A arte imita a arte. Deuses barrocos do futebol

apoteose_de_santo_inacio_de_loyola_andrea_pozzo
“Apoteose de Santo Inácio”, clássico barroco de Andrea Pozzo, pintada em 1685, inspirou o afresco contemporâneo de Reidenbach, em 2006 (abaixo)

adidas_afresco_colonia_Felix_Reidenbach.jpgA arte imitando a arte em nome do futebol. Ou quase. Em 2006, para comemorar a realização da Copa do Mundo na Alemanha naquele ano, o artista Felix Reidenbach pintou um afresco para a Adidas, no teto da Estação Central em Colônia. Com 2700 metros quadrados, o trabalho foi inspirado na obra espetacular do artista barroco  Andrea Pozzo, “Apoteose de Santo Inácio”, pintada na cúpula da Igreja de Santo Inácio no Vaticano, em Roma. Terminada em 1685, celebra o trabalho missionário dos Jesuitas.

Já Reidenbach representou deuses do futebol vestidos pela marca alemã – Ballack, David Beckham, Cissé, Kaká, Messi, Nakamura, Podolski, Raúl, Riquelme e Zidane. Todos jogadores em atividade à época. Se houver futebol nos céus, certamente esses caras têm titularidade garantida (Zidane talvez prefira ser o técnico rs).

O golpe certeiro de Zidane que virou escultura

Coup_de_tête_2011_2012_Adel_Abdessemed
“Coup de Tête”, de Adel Abdessemed, em frente ao Centro Georges Pompidou

Final da Copa de 2006 na Alemanha. França X Itália. Empate em 1×1 no tempo normal e na prorrogação. Decisão nos pênaltis, com vitória italiana. O lance mais marcante da partida não foi nenhum dos gols nem os pênaltis. Continue Lendo “O golpe certeiro de Zidane que virou escultura”